Tarefas

Tarefa 1. Dinâmicas de Ecossistemas e indicadores

Esta tarefa envolverá o desenvolvimento e implementação de um procedimento/ para a construção de modelos de capacidade de recursos (RCM) para estimar o impacto das opções de gestão ao nível do povoamento, e a sua distribuição espácio-temporal, sobre a oferta de produtos de florestais (ex. madeira. cortiça) e serviços de ecossistema (ex. biodiversidade, carbono, proteção contra erosão, resistência a incêndios) na área de estudo, uma Zona de Intervenção Florestal (ZIF), com cerca de 14 400 ha, envolvendo mais de 300 proprietários.

Tarefa 2 – Oferta de serviços de ecossistema, análise de risco e análise de tradeoffs

Esta tarefa envolverá o desenvolvimento do conjunto de soluções possíveis nos espaços de decisão dos problemas de planeamento de gestão dos ecossistemas florestais. Especificamente, simulará os planos possíveis à escala da ZIF e estimará o seu impacte sobre a oferta dos serviços de ecossistema.  Envolverá ainda o desenvolvimento e a visualização desses conjuntos de soluções no espaço dos critérios dos problemas de planeamento da gestão dos ecossistemas florestais, por forma a apresentar informação sobre relações de compromisso entre produtos e serviços não transacionados no mercado

Tarefa 3. Valoração e pagamento dos serviços de ecossistemas

Esta tarefa envolverá o desenvolvimento de abordagens participativas para selecionar pacotes de serviços de ecossistemas a oferecer e os correspondentes planos de gestão da ZIF. Envolverá ainda o desenvolvimento de um mecanismo de leilão de aquisições de serviços de ecossistema e de uma plataforma web para reunir os pagamentos respetivos.

Tarefa 4. Gestão e Divulgação

O objetivo desta tarefa é aplicar um modelo de gestão apropriado para a implementação do projeto a) ter sucesso no desenvolvimento e monitorização do plano de trabalhos e b) comunicar e disseminar os resultados do projeto junto das partes interessadas e grupos alvo.

LOGO BIoecosys preto.jpg.png
Métodos de decisão em gestão de ecossistemas florestais:
uma aproximação bioeconómica para a sustentabilidade